Quais os tipos de aplicativos mais usados pelo brasileiro

Por Postado em - Aplicativos em 8, Maio, 2014 0 Comentários

O uso de dispositivos móveis está em contínuo crescimento no país. A expectativa era de que até o final do ano passado quase 21% da população seria usuária de smartphones, segundo o instituto de pesquisas eMarketer (2013). Essa porcentagem abrange as classes A, B e C do país. Uma pesquisa da Pagtel (pagamentos via celular) em conjunto com a E.life (empresa de monitoramento online e social CRM) revelou um dado interessante quanto ao comportamento de usuários de aplicativos móveis no Brasil: 96% dos usuários acessam redes sociais e enviam mensagens. Esse número se manteve equilibrado entre todas as faixas etárias e classes econômicas (veja na fig. abaixo). Outras categorias de aplicativos possuem porcentagem equilibrada de consumo entre as classes e faixas etárias, tais como mapas e navegação, música, vídeos, fotos e jogos. A maior diferença é mostrada no uso de aplicativos de viagens, por 47% da classe C contra 61,5% das classes A e B. Esse tipo de comportamento também é percebido em aplicativos de e-commerce. As classes A e B se destacam porque elas “se adaptam antes ao e-commerce, e porque ficam mais à vontade diante da perspectiva de gastar dinheiro através dos dispositivos móveis.”.

tabela01

Tipos de aplicativos utilizados pelos brasileiros, conforme a classe econômica e a idade.

 

Já no tipo de conteúdo acessado nos aplicativos, percebe-se que não há muitas diferenças no comportamento de uso entre as classes sociais. De acordo com Felipe Lessa (2013), diretor de marketing da Pagtel:

a explosão da inclusão digital no Brasil nos últimos anos significou que os consumidores da classe média estão essencialmente expostos aos mesmos tipos de conteúdo e de intensidade que os mais ricos. Portanto, é cada vez mais difícil separar o uso baseado puramente nas medidas da idade tradicional, do sexo e da renda.

Felipe Lessa, 2013

 

 

Tipos de conteúdos utilizados pelos brasileiros, conforme a classe econômica e a idade.

Tipos de conteúdos utilizados pelos brasileiros, conforme a classe econômica e a idade.

A porcentagem de diferença mais acentuada aconteceu entre as faixas etárias. Enquanto os mais jovens consomem mais filmes e séries de TV, os usuários mais velhos priorizam meios de informação como revistas, jornais e revistas.

O uso de aplicativos caiu no gosto do brasileiro. Até pelo fato de consumirem muito menos banda de internet, e, portanto carregarem os dados rapidamente. É um meio importante da marca divulgar seus produtos, serviços e conteúdos, pois permite informações rápidas e de forma multimídia.

Comentários fechados.